dcsimg

Mantenha-se Ativo

Tão importante quanto seguir corretamente o tratamento, é manter a mente e o corpo ativos, buscando amenizar os sintomas da esclerose múltipla, responsáveis pelo comprometimento da qualidade de vida dos pacientes.

A enfermidade ainda não tem cura, mas existem diversas alternativas para ajudar a conviver com ela e assim, não deixar de fazer atividades prazerosas .

  • Inicialmente tem-se a neurorreabilitação que auxilia na adaptação do paciente ao seu novo modo de vida, ao surgirem os primeiros sintomas da esclerose, na recuperação após algum surto e também como tentar prevenir novas crises e o aparecimento de deformações ósseas ou neurológicas, causadas por episódios anteriores. Desde meados de 1980, estudos comprovam que exercícios físicos aeróbicos e aquáticos influenciam positivamente na saúde cardíaca, dores musculares e fadiga, alguns dos principais sintomas da esclerose múltipla.

    Para aproveitar melhor as atividades é preciso adequá-las ao estágio da doença, sendo mais indicadas para pacientes com quadros leves e moderados. Além disso, o acompanhamento médico constante é necessário para verificar as melhorias alcançadas.

  • Outro adjuvante no tratamento da esclerose múltipla é a fisioterapia, que pode ser empregada para tratar sequelas causadas pela doença, como distúrbios de equilíbrio e coordenação motora, por meio de alongamentos e exercícios corretivos. Além disso, ameniza a fadiga e dores musculares, além de melhorar a respiração e circulação sanguínea.

  • A fonoaudiologia recupera funções da fala e da deglutição, que foram prejudicadas pelo avanço da esclerose múltipla, utilizando técnicas de treinamento fonético, auditivo e de dicção, com a finalidade de reabilitar todas as funções do trato oral.

  • Exercícios físicos aeróbicos, musculares leves e aquáticos também são excelentes para a reabilitação do paciente, pois auxiliam na recuperação da massa muscular afetada pela esclerose múltipla, além de promover o relacionamento interpessoal, fundamental para evitar sintomas de depressão desenvolvidos pela enfermidade.

Fonte:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESCLEROSE MÚLTIPLA. Disponível em: http://www.abem.org.br/. Acesso em 11 de janeiro de 2017.

FURTADO O.L.P.C.; TAVARES M.C.G.C.F. Orientação de exercícios físicos para pessoas com esclerose múltipla. Revista Digital - Buenos Aires - Ao 11 - N° 99 - Agosto de 2006. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd99/esclero.htm. Acesso em 14 de julho de 2016.
L.BR.PSP-MKT.07.2016.5521